domingo, 18 de março de 2018

Hoje

Hoje eu aprendi o que havia esquecido
O que havia me fatigado
Nada além do costume
Tudo errado

Vamos para Neverland e iremos estar juntos
Algum lugar onde se possa estar só
Porque a solidão é um luxo
Mais apertado que cegueira do nó

Poemas errados com as palavras certas
Me atingem como trovões em seu delicado som
Até o dia em que viver
Numa viagem em mood on

Até que fomos bons enquanto houve bondade
Depois, só ventos e a fúria da tempestade
Seus olhos de cigana ainda me encaram
Em algum lugar noturno da cidade

(Edu Neves)



Lord Knows You Feel No Pain

Lord knows because i know
You're pain' the coast
There's something in your way
'Cause i've loving you till today

I've been climb the moutain
You're searchin' for somewhere to livin' up
You're no strange for me
Lord said to me let it bleed

Tomorrow i'll be sorry
But not for today
Today i live with no expectations
And there's wings upon my shoulder

No sense standin' for you
Hot could summer is over
Now you got the flowers on my clean grave
But for now, it's enough, sister

(Edu Neves)



quarta-feira, 7 de março de 2018

Supremo

Oh, Deus, permita-me terminar minha jornada
Plantarei sementes na terra vermelha
Vermelha de sangue glorioso
Amarela como o brilho da estrela

Pai Amado, me faça esquecer as angústias passadas
Coloque os meus passos à frente
Derrame meu sangue como rastro
Para que não me falte a mente

Lhe peço perdão pelos pecados que cometi
Pelos pecados que hei de cometer
Mas me livre da culpa de ser errante
Me livre dos infortúnios das amantes

Pai, coloque mais fé em minha alma desalmada
Faça da Tua a minha caminhada
Leia em meus olhos, sonhos distantes
Faça de mim, cavaleiro andante

(Edu Neves)



Aplicativos

Temos botões diversos à nossa deriva
O que falta é a direção
O que falta é a opção
O que falta é a oração

Temos sistemas operacionais distantes demais
Temos aplicativos para odiar
Temos frações para calcular
Temos a chance de amar

Temos a madrugada que segue adiante
Diante dos nossos olhos insones
Diante da vida que se apresenta forte
Diante do som do trombone

O que não temos é a capacidade de superar a gravidade
Temos a força, mas não temos a vontade
Mas de nada adianta querer, sem as ferramentas
O quanto de cada que podemos obter com as mãos lentas

(Edu Neves)



sábado, 24 de fevereiro de 2018

Poema Para Charlotte Gainsburg

Ela se move com passos lentos
Com a bênção de seu pai eterno
Em seu pescoço, um lenço
Em seu caderno, um verso

Inversa moça clara com olhos castanhos
Caminha pelo Ocean Boulevard
O vento em seu cabelo
A peste negra no seu salto quinze

Suas mãos delicadas na minha tela de led
Ilumina a sala silenciosa
Com sua voz opaca, glamourosa
Com seus dotes minimalistas de vitoriosa

Fria brisa de novembro em Paris
Suas lágrimas enchem meu copo
Entorpecido pelo seu rosto
Encontro forças escondidas no seu esboço

(Edu Neves)



Strength

Está cansado, com o peso do Mundo nas costas
Estará à salvo de todas armadilhas terrenas
Conte com a mão do Criador
Nessa hora de grande tormenta

Fugiremos da Terra
Como foge o pássaro alado de seu predador
Como foge a perna com passos em compassos
Como fica a cicatriz de seu mentor

Aliviado estará em casa
Sem o cheiro de Napalm nos braços
Sem a saliva do dragão dourado
Com o afeto de um cetim bordado

Não tema mal algum, viajante
Você está em boas mãos agora
Tire o seu chapéu para jantar
Ainda não chegou a sua hora

(Edu Neves)



quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Cerimônia De Desfecho

Abro meus olhos, num tempo expresso
Ouço o trem ao longe, vago num deserto
São as luzes que me cegam o pensamento
Caminho no tapete, em passos lentos

Eles escutam a música ao longe
Enquanto patinam no gelo
Gestos infantis sendo apreciados
Mãe ao lado do filho no berço

Sinto uma pitada de dor nos olhos dela
Meu assombro quanto ao céu
Me atinge a súbita impressão da espera
Pois que sem ela, virei novela

Finalizo meu contra-ponto
Entoando canções de outrora
Atinjo o ápice do show
Depois, entro no carro e vou-me embora

(Edu Neves)