quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Poema de uma Rosa Branca

Os meus passos no deserto se perderam
no labirinto dos seus olhos.
A brisa sobre o meu corpo é um vestígio que você
deixou entre tantos outros sorrisos.
A luz que irradia dos seios nús me devolvem
a esperança da paz que nunca vivi.
Se eu pudesse, me afogaria nesse oceano.
Seria o meu passa-porte para o oásis em que
vive a minha Rosa Branca.
Pois entre os leões ela dança sensual e livremente.
Sem medos...
Dance comigo brisa suave do inverno.

(Edu Neves)


Nenhum comentário:

Postar um comentário