segunda-feira, 23 de abril de 2012

Era uma vez... (Eu, um caminho torto e você)

Quando a rosa branca desabrochou
Sua maçã corou
Evitei olhar, tentei fugir do assunto
Inevitável é não invadir seu mundo

Dispenso aquela entrada triunfal
Pode ser pela porta dos fundos
Talvez ela me deixe brincar no quintal
Talvez pendure meu coração no varal

Quero tragar sua dor
E provar seu néctar
Sentir teu corpo, sentir calor
Tocar suas pétalas

Pegar carona nas suas asas
Sentir o vento no rosto
Tornar qualquer caminho bom
Um caminho torto

Jogar os dados, ser a bola da vez
Ter sua pele alva, seus olhos e sua blusa xadrez
Comer chocolate
Ter uma overdose de vida (Antes que seja tarde)

A semente deixei no jardim
Irá crescer
Começo sem fim
Sem ilusão, com pedaços de mim

Prenda-me uma vez
Não importa onde
É capaz de me amar?
Just once...

(Edu Neves)

*Dedicado à Rosa Branca dos anos 80 (Um momento de glória é capaz de dar sentido a uma vida inteira)




Nenhum comentário:

Postar um comentário