sábado, 30 de junho de 2012

Melodrama Particular

E assim aconteceu
De o vento chamá-la
Chamou-a com a graça dos palhaços brancos que me torturavam
Dias inacabados depois da grande festa
Sim, eu a vi, Melinda
Através da cortina de fumaça
Que pendia das bocas selvagens
Então o salão inteiro ficou mais denso
Mas os meus olhos, como o seu coração incauto, estavam abertos
Então eu parti
Não olhei para trás, mas via tudo
Tudo o que não via, eu vivia
E assim vivi, sem palavras
Sem a língua
Sem a garganta cruel de Melinda

(Edu Neves)


2 comentários:

  1. Buenas,
    Outros olhos leram junto aos meus.
    O comentário desses outros olhos foi "lirismo intimista".
    Deixo este comentário pois traduz em poucas palavras o que tb senti ao ler.
    Aline

    ResponderExcluir