quinta-feira, 5 de julho de 2012

A Promessa do Corvo

O garoto nasceu em um quarto intempestivo
Ainda bebê, morreu 52 vezes
Bebeu da água purificada pela fé cega
E ganhou força no mar revoltoso

Corpo jovem e mente vanguardista
Classifica a dor como um sentimento purista
Sua guitarra é sua melhor analista
E com ela, tece seu show intimista

Começou a andar com um gângster alcoviteiro
Onde teve garotas pecaminosas em seu caminho torto
Onde teve contato direto com o poeta morto
Onde seguiu os passos da princesa pálida

E na quarta-feira cinzenta, um ladrão apareceu
Ameaçou a roubar-lhe a poesia intacta
Sua sorte foi Bárbara
Que apareceu vestida de verde e sem mágoas

(Edu Neves)




Um comentário:

  1. Vida errante...todavia parece plena e interessante.
    Bah! Tire este interessante, rimou e ficou horrível.
    Refazendo: Vida errante...todavia parece plena, valendo a pena ser vivida.
    Aline

    ResponderExcluir