domingo, 3 de março de 2013

Canção Para Salvar a Alma (Song for Son)

Então há aquele tipo de amor
Que me fez cometer a loucura de forjar um encontro às escuras
Aquele tipo de amor que é uma casa escura
Aquele tipo de amor sem candura
Onde você imagina que há cura

Então há um certo tipo de Blues que fica do lado esquerdo
Um Blues que te entorpece
E seca as suas lágrimas de medo
Um som seco e cortante que te acerta em cheio
Quando está cego em um devaneio

Então há uma carta sobre a mesa
Uns garranchos camuflados pelas gotas (lágrimas de sangue)
Um breve adeus em um pedaço de papel
So long, meus erros
Come down, meu céu

Então há aquela manhã sem sol
Quando você percebe que está sozinho em meio a multidão
Já não há mais sol
Já não há mais chão
Só eu, você e o barulho do trovão

Então há o fim de um dilema
O fim de toda uma promessa pequena
Um recomeço em novena
Há o que não havia
Nos braços da morena

(Edu Neves)





3 comentários:

  1. O que dizer dos teus versos, poeta?
    O começo, o meio..e inevitavelmente, o fim!

    Recomeçar nem sempre é certeza!
    Mas o blues continua tocando..

    Beijo(lindo, pra variar )

    ResponderExcluir
  2. Tudo lindo, os versos e o dono das palavras e da emoção.

    ResponderExcluir