domingo, 27 de dezembro de 2015

Tempestade (Parte 1)

Lago cristalino para matar a sede
Sede de sonhos à deriva
Lago cristalino para banhar a alma
Pura e doce neblina

Mar revolto em linhas tortas
Sem navios, cem voltas
Mar calmo e arisco, traiçoeiro
Barcos, capitão trapaceiro

Sombra de si na água escura
Penumbra cálida no oceano da vanguarda
Homens sem alma
Mulheres armadas

Fim dos tempos à longa distância
Maré alta, muros íngremes
Saudosa e tão perdida infância
De velas queimando esperanças.

(Edu Neves)



Nenhum comentário:

Postar um comentário