domingo, 27 de dezembro de 2015

Tempestade (Parte 2)

Chegastes a mim como um sonho azul turquesa
Porém, perdestes a cor num devaneio abstrato
Ainda navego águas desconhecidas
À procura do último ato

Não seguirei seus passos
Pois são falsos e meticulosos
Suas lágrimas estão em estoque
Em algum lugar no pólo norte

Obrigado por ir embora, Vento do sul
Lhe agradeço ao ter me usado como sua rara flor
Amor disfarçado de sexo
Sexo com a máscara do inatingível amor

Proezas maléficas são suas pedras preciosas
Pois não há coração em seu peito
Talvez, no fim, haja algo
Redenção

(Edu Neves)



Nenhum comentário:

Postar um comentário