sábado, 2 de janeiro de 2016

Carnaval De Flores

Sem a máscara digna de perfeição
Olhos abertos para a curva acentuada
Digo palavras e sigo a canção
Diante da criatura desfigurada

Sonho sonhos infernais com os anjos de Avalon
Jogo dardos no centro da gravidade
Ganho o jogo na tarde de baunilha
Depredando toda promiscuidade

Mas sua fantasia não me engana
Tenho memória fotográfica
Bebo cana que desencana
E me mando pra outra galáxia

Seu jardim de cores desabrochou
Em seu infinito entardecer
Ao amigo que lhe clamou
Deixo um belo anoitecer

(Edu Neves)



Nenhum comentário:

Postar um comentário