segunda-feira, 11 de julho de 2016

Matina

Gargantas sedentas e corpo estável
Água mineral num copo quebrado
Noite fria de um inverno tropical
Escrevo meu próprio mapa astral

O índio me chamou
E o relógio não despertou
Bolo de chocolate ao jantar
Sem lágrimas para derramar

Mamãe me contou a história
Do amor entre a lua e o oceano profundo
O eixo da vida eterna me guia
Para o centro do mundo

Saudade do anjo negro iluminado
Com seu sorriso fraterno e amigável
Sem asas nem cavalo
Ele descansa no seu pátio

(Edu Neves)




Nenhum comentário:

Postar um comentário