segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Love Song

Diante da porta, paro e espero
Espero o florista
Lhe entrego as rosas brancas
E as neves do alpinista

Olho por cima dos ombros da moça à minha frente
Nada de novo nas fronteiras
Nada de novo em seus olhos reluzentes
Sangue novo em suas veias

Como um gago digo-lhe às pressas que o trem vem vindo
Lugares reservados nos foram tomados
Taças de vinho tinto embotadas
Copos quebrados

Chão de esmeraldas à nossa frente
Estrelas adiante
Separatistas sem dentes
Sorrisos indecentes

(Edu Neves)



Nenhum comentário:

Postar um comentário