sexta-feira, 5 de agosto de 2016

The Rain (Chuva Passageira)

Águas de novembro lá fora
Lágrimas de dezembro aqui dentro
Dentro do corpo paralisado pelo passado
Dentro dos olhos de plástico

Continua chovendo o ano inteiro
Ou talvez sejam meus olhos embotados
Seja um rinoceronte com seus olhos tristes
Derramando uma lágrima e refletindo a minha crise

Ele pinta o Rinoceronte
Ele me pinta
Dalí, pinta quem quer que seja
Desde de que haja tinta ou chuva

Outros eus me pertencem
Não me encontram, pois fujo deles
Sempre trazem à tona o mal que há na chuva
O mal que há em mim

(Edu Neves)



Nenhum comentário:

Postar um comentário